quinta-feira, 25 de junho de 2009

Dia dos Pais Radical

Dia dos Pais. Domingão. Solzaço. Nada de núvens no céu. Tempo quente. Dia perfeito pra se refrescar de um jeito diferente... UM SALTO MALUCO DE PARAQUEDAS... Neste dia, muitas famílias tiveram essa idéia. No Centro Nacional de Paraquedismo, em Boituva, a galera não teve medo e se jogou lá do alto. Eu e o Fabio Campos acompanhamos de perto cada detalhe dos aventureiros. Um esportezinho caro, vou te dizer. Em média, um salto custa 450 reais. Você paga a vaga no avião, o aluguel da roupa, o combustível e o resto do valor é dividido entre piloto, instrutor que salta com você, e o pagamento pelo serviço de fotografia e filmagem.... Vejam vocês mesmos. Muito Loko,,,
video

MEU SALTO... SIM, EU TAMBÉM SALTEI...
Uma semana depois da reportagem eu não tive dúvidas. Fui viver essa emoção. Não dava pra deixar passar essa chance... Era um domingão também. Fim de tarde... O Dia mais lindo e mais perfeito pra registrar essas imagens. Meu salto foi o ultimo a ser realizado naquela tarde, bem no por do sol... Sensacional... Depois que o paraquedas abre, é uma delícia curtir o visual e aquele céu alaranjado, o sol próximo do horizonte...
Uma das partes mais dificeis é quando o avião vai subindo, subindo, subindo, em forma de espiral (para não fugir do ponto de pouso), até chegar a 3.600 metros de altura. E a gente no avião, amontoado no assoalho (já que não há bancos nesse tipo de avião) e com o coração a mil por hora na ansiedade do salto. Quando chega o momento, não tem mais jeito de desistir... A sensação de suicídio é notória. CARA, VOCÊ SE JOGA NO MEIO DO NADA... Até por isso, nosso corpo nos protege... Várias pessoas com quem conversei viveram a mesma situação: nesse exato momento de se lançar do avião, você apaga por milésimos de segundo. Como se fosse um sistema de proteção do nosso corpo, pra não sofrer... Rapidamente, o instrutor bate no nosso ombro, a gente retoma a conciencia e abre os braços pra curtir o salto... São 2 mil metros de queda livre, rosto esticado pela força do vento... Nem dá tempo de sentir frio. A Sensação é insana, como uma entrevistada havia me falado uma semana antes. Todo mundo tem que viver isso pelo menos uma vez na vida... Minha aterrissagem não foi bonita... hahahah... Mas, quem se importa? Diante da sensação que eu vivi, to pouco me importanto para a aterrissagem. rs


video

Nenhum comentário:

Postar um comentário