sábado, 1 de janeiro de 2011

Réveillon



Nem sempre a gente encontra pessoas agradáveis e simpáticas... Neste réveillon acompanhei a passagem de ano em vários pontos da cidade. Um deles, numa casa onde alguns amigos estavam reunidos... O objetivo era mostrar as diferentes comemorações de Ano Novo. A pergunta era simples: Diante de tantos lugares pra se passar o virada de ano, como praia, chácara, baladas, restaurantes e bares, por que ficar em casa? Uma das entrevistadas foi taxativa: "diante de uma pergunta ridícula, uma resposta ridícula. Eu to aqui porque eu quis". Claro que ela não entrou na reportagem. Mas, fico me perguntando. Se topou dar entrevista, pra que agir dessa forma, né? Enfim, o jornalismo é assim mesmo... A cada dia lidamos com pessoas diferentes. Mais ou menos simpáticas. Dispostas ou não a ajudar. Lidar com o ser humano não é fácil. E para fazermos boas reportagens, temos que aprender a sair pela tangente em situações como esta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário